3 dias e meio de aulas e um final de semana visitando a Região da Borgonha

Quarta-feira foi dia do Roger Lehman, um americano com mestrados e Ph.D. nas áreas de Teologia, Psicologia, Psiquiatria e Serviço Social na Rutgers University, no Seminário de Teologia de Princeton e no Instituto de Tecnologia da Florida. Mr. Lehman completou seu treinamento em Psicoanálise no Instituto Sigmund Freud em Frankfurt, onde trabalha, além de lecionar no INSEAD, no INSITE GmbH, uma consultoria organizacional especializada em desenvolvimento de liderança, coaching para executivos, mudanças de gestão e integração após fusões e aquisições.

Mr. Lehman nos apresentou os diversos tipos de estilo de liderança e métodos de como identificar o seu próprio estilo. O mais importante que nos ensinou, é que não existe um tipo certo de liderança, em algumas situações alguns estilos são mais eficazes que outros, o próprio líder pode adaptar o seu estilo de acordo com a situação. Os conceitos de inteligência emocional de Daniel Goleman foram bastante utilizados na aula, ficando claro que para ser um bom líder antes de tudo é preciso exercitar o auto-conhecimento.Uma parte interessante da aula foram as discussões quanto as responsabilidades do líder quanto ao coaching, não confundir com feedback. Exercitamos as técnicas de coaching e de identificar sinais de quando nossos colaboradores necessitam do coaching e de quando nós mesmos precisamos.

Quinta-feira foi a vez de James Teboul, Francês, graduado em Engenhenharia e com Doutorado na Ecole Centrale de Paris e com MBA na Sherbrooke University no Canadá. Mr. Teboul é professor do INSEAD e pesquisador nas áreas de gestão de supply chain, gestão da qualidade e gestão de serviços. Possue vários livros escritos, os mais recentes são Service is Front Stage e Le management des Services.

Eu já conhecia o James Teboul da última vez que estive no INSEAD, nem por isso a aula foi menos interessante, muito pelo contrário, o assunto é extremamente aderente ao nosso negócio. O foco da aula é na diferenciação entre os segmentos de serviço e indústria. Na verdade, o que ele defende, e eu concordo, é que todo negócio tem uma parte de serviço e uma parte de indústria. Simplificando, o conceito seria que as áreas da empresa que tem contato com o cliente, é serviço,e as áreas da empresa qua não possuem contato direto com o cliente , é indústria. Por exemplo : o segmento de alimentação sempre foi considerado um segmento de serviços, porém se observarmos o Mac Donalds podemos verificar facilmente que a área onde são feitos os sandwiches funciona exatamente como uma indústria, ou seja, a parte da frente que atende os clientes (front stage) é serviço, a parte de trás que fabrica os alimentos (back stage) é indústria. A aula então desenvolve-se sobre este tema : como identificar as áreas que são front stage ou back stage em sua empresa ? como dimensioná-las ? como construir círculos de criação de valor para os clientes ? Como passar de uma proposta de serviço para um entrega de serviço diferenciada ? analisamos vários cases, como os dos Restaurantes Benihana, e aí focando mais na área de supply chain, da Toyota, GM e HP.

Depois de 4 dias só escutando inglês, pudemos finalmente ter uma aula no bom e velho português com o excelente professor brasileiro Geraldo Sardinha. Formado em Economia pela UFMg e com especialização em finanças pela Kellogg e pelo INSEAD , Sardinha é professor associado da Dom Cabral há vários anos e é professor visitante da Sauder School of Business no Canadá.

Tivemos 1 dia e meio de aula com o professor Sardinha, discutindo a viabilidade financeira e a avaliação da atração de certos negócios, a hora de entrar e de sair do negócio, como avaliar o valor de empresas, como construir retorno para os acionistas, a dinâmica do capital de giro e sua relação com o fluxo de caixa da empresa, o impacto da criação de valor sobre o processo de tomada de decisão e a posição estratégica e o conceito de crescimento sustentável. Fizemos diversas simulações com base em demonstrações financeiras de empresas e discutimos as análises e posicionamento que teríamos frente a estas situações. Foi sem dúvida o melhor momento do curso até agora, e o mais útil para o meu dia a dia na ALESAT.

Bem , após uma semana de curso tivemos finalmente um momento de relax, na parte da tarde do sábado, todo o grupo foi fazer um passeio de ônibus pela Região da Borgonha só retornado no domingo a noite. Trata-se de uma das regiões mais bonitas e ricas da França, muito famosa pelos ótimos vinhos produzidos por lá ( Chablis, Cotê de Nuits, Cotê de Beaune, Macônnais e outros) e por várias cidades que ainda guardam as características da idade média. Visitamos inicialmente a cidade de Vezelay, uma pequena cidade que é patrimônio mundial da Unesco e onde fica a Basílica de Saint Madeleine.Depois fomos para Beaune, a capital do vinho da Borgonha, onde visitamos um antigo Hospital do Sec. XV , fomos depois a duas vinícolas, uma delas chama-se Chateau de Pommard, que produz um dos melhores, e mais caros, vinhos da região e visitamos as vinhas (plantações de uvas pinot noar) do Château Clos-Vougeôt, onde tive a oportunidade de arrancar e comer cachos de uva diretamente das parreiras de onde saem os melhores vinhos do mundo, não preciso nem falar que cada visita dessas envolveu a degustação de vários tipos de vinhos, sem comentários. Na volta paramos em Dijon, a capital da Borgonha, uma cidade muito rica com mais de 300 mil habitantes onde tivemos um maravilhoso almoço, e por fim, antes de voltar para o hotel , visitamos a Abadia de Fontenay, uma belíssima construção do Sec. XII, feita por monges católicos. Chegamos de volta no INSEAD às 20:30 hrs, ainda temos que ler dois cases para as aulas de amanhã.

Agora é hora de descansar para mais 5 dias intensivos de curso, abraços.

RECEBA NOVIDADES DO BLOG DA ALE

Leave a Reply

Nome:

E-mail:

Website: