Aprenda a trocar a marcha da maneira correta

Ainda é uma cena comum encontrar motoristas que não se preocupam com a forma correta de usar o câmbio e muitas vezes desconhecem a importância desse item para o automóvel. O câmbio é um componente fundamental para movimentar o carro e, quando bem utilizado, faz toda diferença no desempenho, na economia de combustível e até mesmo na segurança. Acionar o câmbio na hora certa, por exemplo, evita o famoso tranco, economiza combustível e não desgasta o sistema mecânico.

 

Um dos primeiros passos para usar o câmbio da maneira correta é entender como funciona. Por isso, separamos algumas informações importantes:

A função do câmbio

Em um percurso feito com o veículo, você vai sentir a necessidade de administra a velocidade do carro, para ficar mais rápido, para ficar mais lento e até parar.  O câmbio é o sistema que permite o veículo deslocar em escalas de velocidades diferentes. Ele é formado por um conjunto de engrenagens que permite a regulagem da velocidade de acordo com sua necessidade. O sistema se divide em dois tipos: as baixas, que exigem mais força e menos velocidade do carro (ré, primeira, segunda e terceira); e as altas, que conferem mais rapidez ao automóvel (quarta, quinta e, em alguns modelos de carro, sexta).

A troca

Saber o momento certo da troca é bem simples, basta um pouco te atenção. O próprio veículo “pede” a mudança da marcha. O barulho do motor aumenta e é possível sentir o carro levemente travado.  Outra dica é observar o conta-giros. Você notará que o marcador se aproxima da faixa vermelha, o que significa que é hora de aumentar ou diminuir a marcha.

Subidas e descidas

Em subidas, o indicado é usar mais a força da marcha para depois trocá-la. Isso significa que é preciso aumentar o tempo das trocas, em relação ao que é feito em pistas planas.

Se você vai precisar parar em uma ladeira, o ideal é utilizar o feio de mão. Manter o pé na embreagem e acelerando sem usar o ferio, vai resultar no consumo de combustível. Nessas situações procure usar o feio e o freio de mão.  Na hora de sair, acelere e solte o freio lentamente.

No caso da descida, você deve usar uma marcha mais baixa para manter o controle da velocidade. Isso poupa os freios e evita o superaquecimento e perda de eficiência. Esqueça o famoso mito da “banguela”. Atualmente os carros são equipados com injeção eletrônica, que evita o uso do combustível sem necessidade.

Na curva

O indicado é reduzir para a segunda marcha, pois ela confere maior segurança na conversão. Se a curva for feita em terceira ou quarta marcha, você vai sentir o veículo mais “solto” e rápido, o que não é seguro. Se você estiver dirigindo em pistas alagadas, deve seguir o mesmo procedimento, pois assim fica mais fácil controlar o carro.

Ultrapassagem

Antes de fazer a manobra, sinalize para o motorista a sua intenção de ultrapassá-lo e reduza para uma marcha inferior.

RECEBA NOVIDADES DO BLOG DA ALE

Leave a Reply

Nome:

E-mail:

Website: