Blog do Adriano Pires

Reproduzo abaixo os comentários do Adriano Pires sobre o Biodiesel, feito em seu Blog. Trata-se de assunto de extrema relevância para a ALESAT.

Programa de Biodiesel Enfrenta Dificuldades

Segundo a ANP, entre janeiro e maio de 2007 foram produzidos no Brasil 92 milhões de litros de biodiesel. Isso equivalente a um aumento de 34% em relação ao total em 2006. Apesar desta expansão, o volume é apenas 54% daquele que deveria ser entregue até junho de 2007 de acordo com os contratos firmados no segundo leilão de biodiesel realizado pela ANP em março de 2006. Até dezembro de 2007, se esgota o prazo de entrega dos volumes negociados no 3º, 4º e 5º leilões de biodiesel que totalizam mais 645 milhões de litros. Para que os contratos sejam cumpridos em sua totalidade, a produção de biodiesel teria que atingir 723 milhões de litros entre junho e dezembro de 2007, ou seja aumentar oito vezes os 92 milhões de litros obtidos entre janeiro a maio.
As distribuidoras de combustíveis já encontram dificuldades para cumprir sua metas este ano. A BR previa chegar em julho com uma distribuição de 35 milhões de litros de biodiesel ao mês e está comercializando apenas 21 milhões de litros. A Ipiranga tinha como meta 250 milhóes de B2, chegando a 40% das vendas totais de diesel. No entanto, a participação do B2 nas vendas de diesel da empresa é de apenas 20%. Dentre as empresas produtoras de biodiesel, a BrasilEcodiesel é responsável pela entrega de 496 milhões de litros até dezembro de 2007 ou 56% de todo o volume negociado entre o 1º e o 5º leilão. Entre janeiro de 2005 e maio de 2007, sua produção totalizou apenas 80 milhões de litros. Por outro lado, a Bsbios, a Caramuru, a Ponte di Ferro e Fiagril que juntas representam 20% de todo o volume de biodiesel negociado nos leilões, não apresentaram produção até maio de 2007, segundo os dados da ANP. Além do atraso nas entregas um outro problema que tem ocorrido é que algumas distribuidoras devolvem o produto, pelo fato de não apresentarem a qualidade estabelecida pela ANP. Caso esta situação não se reverta, o percentual mínimo obrigatório de 2% do óleo diesel comercializado ao consumidor final em volume de biodiesel puro estabelecido para janeiro de 2008 com a implementação da lei n° 11.097/05 não deverá ser alcançado. Neste caso, o governo terá como alternativas, prorrogar o prazo estabelecido, reduzir o percentual da mistura de biodiesel ou realizar novos leilões onde só deveriam participar empresas que já estejam efetivamente produzindo. Como já havíamos comentado anteriormente, o biodisel só terá sucesso a partir do momento que o governo entenda que não dá para misturar política energética com política social.

RECEBA NOVIDADES DO BLOG DA ALE

2 Responses to “Blog do Adriano Pires”

  1. Qual sua posição em relação a essa politica (se podemos chamar assim) do governo Lula em relação ao BioDisesel ?

  2. Jucelino Sousa disse:

    Vejo com certa preocupação, o biodiesel é mais uma das boas ideias e potencialidades que existem no país que não se desenvolvem corretamente por falta de planejamento. As intenções são excelentes (mudança da matriz energética, incentivo a agricultura familiar e etc) porém a coisa está sendo feita de forma atabalhoada,acho que vamos ter muitos problemas, principalmente de desequilíbrio entre oferta e demanda, qualidade de produtos e muito provavelmente, sonegação de impostos.

Leave a Reply

Nome:

E-mail:

Website: