Os riscos de rebaixar o carro e as exigências da lei

imagem_rebaixamento_0210

A paixão por carros e até a insatisfação com as configurações de fábrica são os principais motivos que levam os motoristas a personalizar seus carros. De todas as modificações a mais polêmica é o rebaixamento da suspensão, pois envolve diretamente a segurança dos ocupantes.

Suspensão móvel ou fixa?
Apesar de serem muito admiradas pelos apaixonados por carros, as suspensões móveis ou variáveis não podem ser usadas no veículo, se não vierem de fábrica.

O Inmetro não aprova a instalação de suspensão a ar comprimido e suspensão com rosca. Um dos motivos é a segurança, já que a altura compromete a estabilidade do veículo.

Atualmente, alguns carros esportivos saem de fábrica com suspensões variáveis. Em alguns casos, o próprio carro ”faz” a escolha em função da velocidade e condições da pista, e alguns poucos modelos oferecem ajuste de altura, que são pré-determinadas.

Na suspensão fixa, presente na maioria dos carros, a alteração das molas e dos amortecedores deve ser vista com muito critério.

Molas
Antes de fazer qualquer alteração nas molas é importante saber que os fabricantes utilizam softwares para o seu dimensionamento, pois o cálculo envolve um grande número de variáveis. Por isso, técnicos em suspensões não recomendam qualquer Alteração nas molas para diminuir seu tamanho.

Em um primeiro momento, estes retrabalhos parecem atender às expectativas dos clientes, mas, no médio prazo, problemas aparecem: amortecedores estourados, trincas no túnel e batentes dos amortecedores danificados serão os primeiros prejuízos.

Se ainda sim quiser alterar as molas, o mais adequado é utilizar os kits de molas esportivas, específicas para cada modelo de veículo. Além de dimensionadas pelo fabricante, elas garantem a diminuição da altura com algum conforto e oferecem uma sobrevida aos demais componentes da suspensão.

Amortecedores
Os amortecedores controlam as oscilações superiores e inferiores das molas. Se colocar um kit de molas esportivo você deve também substituir os amortecedores originais por um kit de amortecedores esportivos, específicos para cada modelo de carro. O mercado nacional ainda não dispõe de kits para todos os modelos. Uma dica é participar de comunidades na internet, pois a troca de informações auxiliará na aquisição dos kits e também na indicação de boas oficinas prestadoras de serviços.

Evite altas velocidades.
Os veículos originais de fábrica passam por diversos testes de durabilidade e desempenho. Mesmo assim, com todos os testes, os defeitos aparecem.

A situação fica mais delicada quando o projeto original é alterado, por isso é importante evitar altas velocidades. O estouro de um amortecedor ou quebra de uma mola pode colocá-lo em uma situação difícil se você estiver acima de 100 km/h. Qualquer sinal de instabilidade ou ruído faça um exame detalhado das peças envolvidas na personalização.

Mudou, tem que legalizar!

Mudar o carro envolve uma série de burocracias. Mesmo estando com a documentação legalizada, a maioria das companhias de seguro não cobre os sinistros de carros rebaixados. Se você está pensando em fazer outras modificações no carro, confira as resoluções de número 291 e 292 de 29/08/2008.

Fonte: G1

 

RECEBA NOVIDADES DO BLOG DA ALE

Leave a Reply

Nome:

E-mail:

Website: