Você está em boas condições para dirigir?

maio amarelo logo branco

Antes de fazer uma longa viagem, é recomendável passar no seu mecânico de confiança e fazer o check-up do veículo. Mas, muito além do estado dos pneus, lubrificante, combustível, motor e parte elétrica do carro, você deve estar com disposição para pegar estrada. Vários fatores contribuem para os acidentes e a maioria é causada por erro humano, que muitas vezes podem ser evitados.

Se a viagem é longa, dirigir por muitas horas sem descanso pode levar a exaustão e aumentar os riscos de acidente. Quando for esse o caso, abandone a ideia de exagerar no café, energéticos e substâncias duvidosas para se manter em alerta. Melhor planejar a viagem com antecedência e fazer pausas regulares para seguir sem problemas.

Fique atento ao seu humor, o trânsito é um espaço de convivência com o outro, onde a regra é a paciência e a tolerância. O time do coração perdeu? O chefe reclamou de um trabalho? Respire fundo e deixe a raiva do lado de fora do veículo, levá-la como passageira vai prejudicar seu comportamento ao volante.

Quem merece atenção também são os medicamentos que usamos: mesmo aquele analgésico inofensivo para a dor de cabeça pode apresentar efeitos colaterais que comprometam a habilidade ao volante. Leia sempre a bula e verifique se ela informa sobre efeitos, como sonolência, visão embaçada, redução dos reflexos, entre outros. Algumas, inclusive, especificam que o paciente deve evitar dirigir ou operar máquinas durante o tratamento.

O ideal é que o motorista faça uma autoavaliação antes de dar a partida no carro. Mas caso já esteja ao volante e perceba que não está em condições de dirigir, não prossiga. Estacione o veículo com segurança em um local apropriado e peça ajuda a um condutor em boas condições ou mesmo para a polícia.

Um dos problemas mais sérios no trânsito hoje é o uso de álcool e entorpecentes pelos motoristas. Além de diminuir os reflexos e a atenção, eles podem agir como desinibidores, expondo os motoristas e passageiros a riscos até mesmo fatais.

De acordo com dados da Associação Brasileira de Estudos de Álcool e Outras Drogas (Abead), três em cada quatro acidentes fatais há a participação de motoristas embriagados. O tenente Marcos Antônio Said, da Polícia Militar do Estado de Minas Gerais, explica que caso seja parado por um agente que constatar o uso dessas substâncias, o motorista ainda sofrerá penas, podendo ter o veículo apreendido, perder a habilitação e até ser preso. “Além do bafômetro, o agente de segurança atentará para sinais físicos e o estado de humor do condutor. Se suspeitar que fez uso de entorpecentes, poderá conduzi-lo para a realização de exame toxicológico”, explica o tenente.

consumidora_entregando a chave

RECEBA NOVIDADES DO BLOG DA ALE

Leave a Reply

Nome:

E-mail:

Website: